Skip to content

Rota do Grande Porto (Selecção)

Na região do Porto existe um importante conjunto de igrejas românicas. De entre estas, há duas que merecem particular destaque pela influência que exerceram sobre a arquitectura românica portuguesa: a Sé do porto e a igreja de Paço de Sousa. Neste pequeno itinerário de apenas dois dias é possível ficar a conhecer dez das mais importantes igrejas românicas do nosso país. Esta rota é constituída por dois percursos independentes, ambos com início na cidade invicta.

Número de igrejas: 10

Percurso total: 62 km (primeiro dia); 92 km (segundo dia)

Duração recomendada: 2 dias

Primeiro dia: Começamos por visitar a Sé do Porto. Este monumento sofreu muitas transformações ao longo dos anos e por isso no seu conjunto não tem o aspecto de uma igreja românica. Contudo, subsistem alguns elementos arquitectónicos (como os toros diédricos) que têm relevância para uma melhor compreensão da influência que esta igreja exerceu no românico da região. Ainda na cidade do Porto, seguimos depois para Cedofeita, onde a pequena igreja de São Martinho de Cedofeita mantém ainda intacta a estrutura original, evidenciando-se aqui as influências da Sé do Porto. Estas influências manifestam-se ainda igreja de Águas Santas, situada já no vizinho concelho da Maia – esta igreja apresenta a particularidade de ter apenas duas naves. Seguimos depois para noroeste a ffim de visitarmos dois dos monumentos românicos mais importantes no contexto nacional: a igreja de São Cristóvão de Rio Mau, que se destaca pelo seu elaborado portal e pela riqueza escultórica dos seus capitéis, e a igreja de São Pedro de Rates, um dos raros exemplos em Portugal de uma igreja românica em Portugal com três absides semicirculares – nesta última igreja refiram-se também os tímpanos do portal principal e meridional.

Segundo dia: Saímos do Porto em direcção a leste pela auto-estrada A4, a fim de visitarmos a igreja de Paço de Sousa – também ela um pólo importante de influência da arquitectura românica em Portugal. Esta igreja, de dimensões consideráveis, merece atenta visita, tanto pelo seu portal com gablete, como pelas três naves que a compõem. Rumamos depois a norte até Paços de Ferreira, onde se encontra a igreja de São Pedro de Ferreira, também ela muito bem conservada e que se destaca pela abside semicircular. Seguimos depois para o concelho de Felgueiras, onde visitaremos duas igrejas, ambas com os seus portais com gabletes, que evidenciam as características da arquitectura românica desta região: a igreja de Unhão e a igreja de São Vicente de Sousa. Finalmente, visitamos o mosteiro de Pombeiro – tal como muitos outros mosteiros que chegaram até aos nossos dias, este edifício encontra-se já muito alterado – o maior motivo de interesse encontra-se no seu portal principal, que se encontra bastante bem conservado.

Mapa interactivo

Anúncios
%d bloggers like this: