Skip to content

Rota do Douro Sul

A bacia do Douro alberga um interessante conjunto de monumentos românicos. Uma boa parte desses monumentos situa-se ao longo da vertente sul. Assim, um percurso efectuado pela margem esquerda do rio Douro permite-nos conhecer essas igrejas. Tal como acontece noutras zonas do interior norte, o terreno muito acidentado faz com que os percursos sejam sinuosos e por vezes demorados, pelo que a visita deve ser planeada tendo em conta estes aspectos. O percurso que aqui propomos desenvolve-se de forma linear, subindo o rio Douro pela sua margem esquerda. A espinha dorsal do percurso é a estrada nacional 222, que liga Vila Nova de Gaia a Vila Nova de Foz Coa.

Número de igrejas: 10

Percurso total: 198 km

Duração recomendada: 2 dias

Primeiro dia: O percurso inicia-se em Castelo de Paiva, mas o primeiro monumento surge já no concelho de Cinfães: trata-se da igreja de Tarouquela – esta igreja pertencia a um antigo mosteiro e conserva ainda numerosos elementos românicos. Prosseguindo pela N222, chegamos ao concelho de Resende, onde nos esperam três igrejas: a primeira é o mosteiro de Santa Maria de Cárquere; situado num local elevado, de onde se goza vasto panorama, sofreu já diversas transformações, mas conserva uma interessante fresta na cabeceira; segue-se a igreja de São Martinho de Mouros, com o seu singular maciço turriforme; e por fim a igreja de Barrô, esta já com traços que anunciam o gótico. A jornada termina na cidade de Lamego, onde poderemos admirar a igreja de Santa Maria de Almacave.

Segundo dia: Partindo de Lamego, podemos descer pela auto-estrada até ao nó de Valdigem, tomando aí o rumo de Armamar, pequena vila cuja igreja matriz é um dos poucos monumentos românicos portugueses com uma abside semicircular. Prosseguimos para o vizinho concelho de Tabuaço onde deveremos descer até ao vale do rio Távora – aqui, num local ermo junto à aldeia da Granjinha, encontra-se a pequena capela de São Pedro das Águias, cujos tímpanos central e lateral merecem atenta observação. Ainda no concelho de Tabuaço, há a registar a igreja matriz de Barcos. Por fim continuamos para leste, aproveitando para visitar a igreja de Trevões (muito alterada ao longo dos tempos mas ainda com alguns elementos românicos na cabeceira) e a igreja de Santa Maria do Castelo de Numão – esta igreja já se encontra, infelizmente, muito arruinada, mas o seu enquadramento (dentro do perímetro do castelo e num local elevado) justifica bem uma visita.

Mapa interactivo

Anúncios
%d bloggers like this: